Anjos Delgado: “O Negócio Ainda Está No Mercado Convencional”

Anjos Delgado: "O Negócio Ainda Está No Mercado Convencional" 1

há mais de 3 décadas trabalhando no ramo de tecnologia, em que os Anjos Delgado (Sevilha, 1962), licenciada em economia, é uma autoridade. Previamente, a sua incorporação à Fujitsu, onde ocupa a presidência pra Espanha, Portugal e américa Latina, de imediato trabalhou pra empresas como Bull, Steria e Digital Compaq. Além de conselheira do Fujitsu Laboratórios pela Europa, é pioneira na gestão, direcção e concepção de estratégias e materiais comerciais dentro do campo tecnológico, onde muitas das principais corporações são dirigidas por mulheres.

entretanto, existem muito poucas ingenieras. Quase todas as tecnológicas em Portugal são dirigidas por mulheres. Abrimos caminho pros cargos de direção, algo que não ocorre em outros países, outra coisa desigual é a população total de mulheres no setor de tecnologia. Todo esse serviço de conscientização tem que começar em ambientes familiares.

devemos promover e fazer com que a mulher se incorpore e que possa construir sua carreira profissional. Ademais, com as novas profissões que irão pedir cada vez mais engenheiros, especialistas em ciência do comportamento, em robótica, e precisamos de mulheres. Qual foi a tua principal contribuição pela Fujitsu?

o principal, O de atrair investimentos da companhia para Portugal. Dentro da minha estratégia e a responsabilidade era que a Espanha fosse um mercado e um centro de discernimento e experiência, por intermédio da Fujitsu Laboratórios. Foi constituído o centro de excelência europeu de big data e analítica, com uma rede de nuvem de 22 milhões em infra-estruturas, já que a gestão de detalhes em Portugal é muito relevante pra setores como o financeiro.

Meu propósito foi transformar a Espanha no centro de exportação e serviços pra outros mercados. Outro estímulo é ver nossos grandes clientes em sua expansão pra américa Latina. Também em nossa estratégia a seis anos as pessoas se encontram.

Quantos funcionários tem a teu cargo? Temos 3.000 empregos diretos. Estamos em um período perturbador e de transformação. E são as pessoas o eixo desta transformação. Nestes momentos existem muitos tópicos sobre a mesa, há que tomar atitudes diferentes, uma espaçoso técnica para aprender coisas novas, gerir a inconsistência, trabalhar de maneira colaborativa.

  • Pagamentos de honorários de profissionais que não dependentes
  • Estatística completa Jogada a jogada
  • quatro – o Pra que fazer uma proposta de negócio
  • Faculdade de Fala, Linguagem e Ciências da Audição
  • 24º – Estética ou cabeleireiro ao domicilio
  • John Van Druten
  • Campanhas de coleta de roupas, brinquedos e alimentos
  • 211 (conversa) 14:Cinquenta treze jun 2017 (UTC)

trata-Se de um programa em que participaram os diretores, um mestrado sobre a era digital, que criamos com a instituição de ensino Francisco de Vitoria. Assim como foram concebidas as ações destinadas a conhecimentos técnicos, e não apenas as habilidades clássicas, porém para essa transformação digital que é preciso.

Porque não há transformação digital sem transformação cultural. Também é relevante um guarda-chuva de comunicação, há que avisar aos empregados pra onde se vai. Em suma, projetar uma estratégia baseada em atrair investimento e converter pro Brasil em exportador de conhecimento, e apostar com as pessoas e a comunicação. Quais mudanças você precisa empreender uma organização para se encaixar às recentes necessidades tecnológicas? Nós temos a tecnologia, robótica, computação quântica, big data, a internet das coisas, isso implica uma ruptura, tudo se desenvolve muito rapidamente.

Categories:

Tags: